Famalicão - Portugal
História/Personalidades

09 Janeiro 2008

 

 

 

 

 

www.ecfamalic.blogspot.com

Relativamente a Álvaro de Castelões, encontrei várias referências a Álvaro de Castelões num semanário famalicense denominado «Estrella do Minho».

"Álvaro de Castro Araújo Cardoso Pereira Ferraz, foi terceiro Visconde de Castelões ao qual por decreto de 27 de Novembro de 1905 foi concedida mais uma vida no título.

Álvaro de Castelões, colonialista, engenheiro e poeta, nasceu no Porto no dia 1 de Abril de 1859. Formou-se em engenharia..., foi director dos Caminhos-de-ferro do Minho e Douro" (57).

Álvaro de Castelões não se destacou só como engenheiro ou deputado, pois ele foi um talentoso poeta, publicando os seguintes livros de versos: "Beijos e Rosas em 1891; Do Soneto Neo Latino em 1930; O Sonho do Infante D. Henrique em 1936, etc."(58).

Até 1905, nas várias referências do jornal semanário «Estrella do Minho», Álvaro de Castellões é apenas tratado como o «distinto deputado e engenheiro», mas após 1905 é tratado como Visconde de Castellões. Quando ele foi agraciado com o título de visconde o jornal «Estrella do Minho» relatou o facto da seguinte forma:

-"Foi agraciado com o título de visconde de Castellões, em terceira vida, o antigo deputado por este círculo e distincto engenheiro, senhor Álvaro de Castellões.

Castelões é uma freguesia do concelho de Famalicão, onde o novo agraciado possui uma quinta e o solar dos seus maiores, que usaram igual título." (59).

Este é, sem dúvida, um notável testemunho do valor de mais uma figura ilustre do concelho de Famalicão, e também uma eminente personalidade no estrangeiro, principalmente nas colónias portuguesas em África e na Índia, como comprova uma notícia do jornal «Estrella do Minho» daquela época, onde nos é referido que: "Já seguiu para a Índia, onde vai exercer o cargo de Director Geral das Obras Públicas, o nosso conterrâneo e amigo senhor Visconde de Castellões" (60).

Sobre esta personagem ficou aqui apenas a súmula da sua biografia, que denota, no entanto que Álvaro de Castelões foi uma figura proeminente que contribuiu a vários níveis para o desenvolvimento da nação.

 

________

(57) Grande Enciclopedia Portuguesa e Brasileira, Lisboa, Ed. Enciclopédia, Lda. - 1947, vol. 6, p.199.

(58) in Estrella do Minho - Famalicão, 21/Out/1900, "Álvaro de Castellões"(58) Grande Enciclopedia Portuguesa e Brasileira - Lisboa, Ed. Enciclopédia, Lda. ,1947, vol. 6, p.199.

(59) in Estrella do Minho - Famalicão , 5/Mar/1900, "Visconde de Castellões".p.2.

(60)  Idem, ... 8/Abr/1906, "Visconde de Castellões" p.2.

 

CARNEIRO, Eduardo Manuel Santos (1997) -"Actividades Sócio-Culturais, Comerciais e Personalidades de V. N. Famalicão no início do século XX", Boletim Cultural nº 14, V. N. Famalicão, 1997.

www.eduardocarneiro.blog.com

 

publicado por EduardoSantosCarneiro às 18:54
tags:

Sem dúvida muito interessante esta biografia de Eduardo Carneiro
Anónimo a 21 de Abril de 2008 às 20:47

Para além das obras citadas, Álvaro de Castellões publicou
«Rimas Orientais»,Porto,edição do Autor,impresso nas Grandes Oficinas Gráficas «Minerva»,de Gaspar Pinto de Sousa,Suc.res,Lda,Vila Nova de Famalicão. Esta obra, inspirada na passagem do autor pela Índia Portuguesa, escrita em1910, só veio a ser publicada em 1945.
Filipe Soares Rebelo a 27 de Junho de 2015 às 22:07

Sr. Eduardo Carneiro li o seu blog sobre o Visconde de casteloes e a sua pesquisa sobre a sua vida e escrita. Gostaria de saber se sabe algo sobre sua descendência? Tenho algumas informações mas gostaria de saber se estará interessado para o seu blog. Com os meus cumprimentos Manuela.
Manuela Gomes a 2 de Dezembro de 2016 às 20:28

Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO